Grupo de médicos participa de curso em Feira de Santana com atendimento gratuito a pacientes

Aos 83 anos, morre Izabel Madalena, a 1ª mulher taxista de Feira de Santana
14 de maio de 2022
Morre cineasta Breno Silveira, diretor de Dois Filhos de Francisco, aos 58 anos
14 de maio de 2022

Um grupo de médicos cardiologistas e ultrassonografistas de diversas cidades do Brasil participam até este domingo (15), em Feira de Santana, de um curso teórico e prático de ultrassom de carótidas e vertebrais.

O curso foi promovido pela Escola Baiana de Ecocardiograma, em parceria com a Santa Casa de Misericórdia. A parte teórica do curso aconteceu na noite de sexta-feira (13), em um hotel de Feira de Santana. Já a parte prática foi iniciada neste sábado (14) e segue até amanhã (15), com o atendimento gratuito a alguns pacientes que foram pré-selecionados pelo Centro de Atendimento Cardiovascular, situado ao lado da clínica Incárdio.

Foto: Ney Silva/ Acorda Cidade

A médica cardiologista Vitória Ximenes, que é de Terezina, capital do Piauí, explicou em entrevista ao Acorda Cidade a importância de tipo de exame para a população.

Foto: Ney Silva/ Acorda Cidade

“As carótidas são artérias responsáveis por levar o fluxo sanguíneo para o cérebro. Elas que nutrem nosso cérebro de sangue rico em oxigênio e nutrientes. Então a gente faz esse exame para observar se existe alguma alteração anatômica. Se existem placas, dissecção, procedimento prévio, e de acordo com o que a gente encontra, a gente toma as condutas”, informou a médica.

Conforme Vitória Ximenes, quando o médico pesquisa a obstrução das carótidas, tem que levar em conta o grau de obstrução, caso ela exista, se ela é grave e onde está.

“De acordo com essas respostas a gente vai determinar se o melhor tratamento é medicamentoso, se é cirúrgico e a gente vai fazendo esse acompanhamento clínico. A gente quando faz este exame pesquisa exatamente por que a presença de placas neste território confere um risco maior de AVC.”

A cardiologista ressaltou que o curso o médico que sabe a importância do exame e como realizar, consegue assistir o seu paciente de uma forma mais adequada. “O médico agrega conhecimento e também no retorno financeiro. Eu noto que ao incorporar o exame de carótidas ao meu currículo tenho tido uma melhor aderência”, pontuou.